Fotos da exibição do Documentário “Olhares da Kantuta”

No domingo dia 21 de Outubro desse ano, o Educar para o Mundo exibiu em vários horários, na sede da Associação Kantuta, o documentário “Olhares da Kantuta”, produzido ali mesmo, que pode ser conferido aqui no nosso blog. Compareceram às exibições várias das crianças que colaboraram na execução do projeto, assim como pais e outros interessados.

“Olhares da Kantuta” foi produzido a partir de uma colaboração entre o Educar Para o Mundo, o Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias e frequentadores da praça Kantuta, conhecida como importante centro de expressão da cultura latino-americana no bairro do Pari, em São Paulo.

Confira as fotos do dia da exibição:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Povos Invisíveis

Povos Invisíveis é um filme documentário que explora e questiona as relações entre os jovens de diferentes povos que circulam pelo bairro do Bom Retiro, centro de São Paulo. Além de explorar essa relação controversa, o filme mostra detalhes e belezas de cada cultura.

Cinema Latinoamericano em São Paulo

O Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo chega à sua 5ª edição consolidado como um dos principais eventos do cenário cultural da cidade. Fruto de uma iniciativa do Memorial da América Latina, o Festlatino presenteia a cinefilia, todo mês de julho, com debates, oficinas, aulas e, claro, muitos filmes da recente e da histórica cinematografia latino-americana. Confira aqui a programação.

Enviado por Melina Rombach (IRI-USP)

Utopia e barbárie, do Silvio Tendler

Nem cínico, nem ingênuo, cheio de humor e de autocrítica, o novo documentário de Silvio Tendler é mais uma parada obrigatória em sua filmografia, junto a Jango, JK e Encontro com Milton Santos. Tendler pescou cenas cruciais da história da segunda metade do século XX, por vezes surreais ou hilariantes, e, em outras, de arrepiar. As imagens de guerras e crimes contra a humanidade aparecem ora como resgate enjoativo de um pedaço incômodo da memória, ora como uma amostra do inevitável flerte entre a utopia e a barbárie. Porém, ainda quando no limite do suportável, tais imagens nunca são apelativas. Ao contrário, aparecem sempre enquadradas por depoimentos fartos de inteligência e esperança, pelo texto equilibrado (e engraçado) do narrador, além de belos poemas.  No debate organizado pela Escola da Defensoria Pública de São Paulo, na última sexta à noite, no HSBC, o cineasta disse que o filme é sua leitura personalíssima da história recente. Contou que, diante da enorme dificuldade de exibi-lo no circuito comercial, o modo alternativo de exibição oferece, ao menos, a vantagem do debate, quase sempre com jovens, o que tem garantido a oportunidade de conjugar seu balanço das utopias no futuro do presente. Dêem um jeito de assistir (DV).

Confira o site do filme http://www.utopiaebarbarie.com.br/site/index.php